Conselho de curadores idealiza novas estratégias para o evento, que ocorre em abril de 2019


  • 20/05/2018
  • Mídia

A CONFERÊNCIA ANUAL da American Telemedicine Association (ATA) – realizada em Chicago, Illinois (EUA), entre os dias 29 de abril e 1º de maio – recebeu um estande de divulgação do Global Summit Telemedicine & Digital Health.

Conselho de curadores idealiza novas estratégias para o evento, que ocorre em abril de 2019

A expectativa da ação foi atingir todos os expositores, tendo uma média de 150 empresas, e os 6 mil congressistas presentes no evento norteamericano, de forma a obter captação de patrocinadores e participantes para o Congresso brasileiro do próximo ano.

A CONFERÊNCIA ANUAL da American Telemedicine Association (ATA) – realizada em Chicago, Illinois (EUA), entre os dias 29 de abril e 1º de maio – recebeu um estande de divulgação do Global Summit Telemedicine & Digital Health, que será realizado pela Associação Paulista de Medicina e pelo Transamerica Expo Center de 4 a 6 de abril de 2019.

“Foi muito importante participar de um evento dessa magnitude, com 20 anos de trajetória. Conseguimos atingir 100% os expositores presentes”, afirma o diretor geral do Transamerica Expo Center, Alexandre Marcílio.

Na ocasião, foram distribuídos aos participantes dois materiais de divulgação do Global Summit, para conquistar os públicos distintos. “Houve grande aceitação do nosso evento, porque as empresas norte-americanas têm interesse em ampliar seus negócios em toda a América Latina. E o Brasil é visto como uma grande oportunidade para essa expansão”, acrescenta Marcílio.

Além disso, em reunião realizada na Associação Paulista de Medicina em 24 de abril, membros do Conselho de Curadores do Global Summit Telemedicine & Digital Health trabalharam na definição de abordagens específicas e palestrantes para o evento, que será o maior da América Latina sobre os avanços tecnológicos da Saúde. “Há muita coincidência e sinergia entre alguns assuntos propostos, como a ética e o uso legal da Telemedicina”, ressalta o diretor de Tecnologia de Informação da APM, Antonio Carlos Endrigo, presidente da Comissão de Organização.

Entre os desafios apontados está a atual formação médica que, segundo representantes, merece atenção no Congresso. “O curso de Medicina hoje ainda tem um formato educacional das décadas de 1950 e 1960. Em contraposição, temos uma evolução brutal na área tecnológica, ou seja, precisamos olhar para isso”, alerta Endrigo.

São várias as temáticas sugeridas. O especialista Chao Lung Wen, chefe da Disciplina de Telemedicina da Faculdade de Medicina da USP – além de membro do Conselho de Curadores e participante do evento -, propõe discutir também telemonitoramento em saúde do idoso, desenvolvimento de novos mecanismos tecnológicos que garantam a melhor formação médica e atualização continuada e a integração de telemedicina e tecnologias de saúde com cidades inteligentes.

Inscreva-se em nossa Newsletter

E acompanhe as novidades sobre o evento.