De Israel para o Brasil: A revolução digital na saúde


  • 23/01/2019
  • Artigo

Nos últimos anos, Israel vem se notabilizando por seu bem-sucedido cenário de startups, tecnologia e empreendedorismo na área da saúde.

De Israel para o Brasil: A revolução digital na saúde

Novidades tecnológicas serão apresentadas durante o maior evento de Telemedicina e Saúde Digital da América Latina

Neste mercado existem mais de 600 empresas de dispositivos médicos, de acordo com o levantamento realizado em 2012 pelo Ministério da Indústria, do Comércio e Trabalho.

O setor de Saúde Digital de Israel tem suas raízes em uma longa história de uso de tecnologias de comunicação inovadoras para melhorar a prestação de serviços de saúde como Imagem Digital, Lasers Médicos, Telemedicina, Diagnóstico Precoce, Equipamentos Cirúrgicos Inteligentes e muito mais.

Uma das principais plataformas israelenses de Saúde Digital é a Datos Health. Ela permite que grupos de clínicos atendam um grande número de pacientes em tempo real e fora da clínica, que é onde as necessidades de cuidado à saúde realmente acontecem. Assim, contribuindo no auxílio a organizações, clínicas e a pacientes, pois os dados são produzidos e acessados em qualquer lugar.

Outra plataforma que merece destaque é o Preceyese, um tonômetro caseiro projetado para reduzir o risco do glaucoma, melhorando o tratamento por meio da detecção precoce e aperfeiçoando do monitoramento e manejo. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde, OMS, a doença alcançará 80 milhões de indivíduos no mundo inteiro em 2020.

Ambas novidades tecnológicas serão apresentadas ao público brasileiro pelo palestrante israelense Pini Ben-Elazar, durante o Global Summit Telemedicine & Digital Health, maior evento de Telemedicina e Saúde Digital da América Latina, que será realizado entre os dias 04 e 06 de abril, no Transamerica Expo Center.

Ben-Elazar é executivo de negócios e possui mais de 20 anos de experiência em liderança para mudanças e crescimento estratégico no setor da saúde. Além disso, foi responsável pela criação de 60 startups nos campos farmacêuticos, de dispositivos médicos, diagnósticos e Saúde Digital.

Cenário brasileiro
De acordo com pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), o Brasil já tem mais de um smartphone ativo por habitante. Já são 220 milhões de celulares em funcionamento no país contra 207,6 milhões de habitantes, de acordo com os dados mais recentes do IBGE.

Apesar dos números, a incorporação de tecnologias no dia a dia dos médicos brasileiros ainda está longe do ideal. Isso se deve, principalmente, ao fato da falta de regulamentação. A resolução nº 1.643/2002 do CFM (Conselho Federal de Medicina) restringe consultas médicas à distância diretamente entre profissionais de saúde e pacientes. Ou seja, a Telemedicina no Brasil só é permitida se houver um profissional de saúde em ambas as pontas do canal de comunicação.

tags:

Inscreva-se em nossa Newsletter

E acompanhe as novidades sobre o evento.