A corrida pela Telemedicina

Artigo A corrida pela Telemedicina
Data:

23/07/2020

Médicos e empresas de saúde buscam soluções tecnológicas e capacitação médica em Telemedicina

A Telemedicina, há pouco mais de um ano, era um assunto polêmico e rodeado de mitos. Embora ainda haja muito o que se desmistificar e aprender, desde a pandemia da Covid-19 ela se tornou um tema amplamente falado na imprensa e discutido entre a classe médica, a saúde pública e suplementar.

Engana-se quem acredita que a Telemedicina surgiu devido à esta pandemia. Especialistas e entidades com foco no futuro da medicina e da saúde digital, vêm desenvolvendo há anos, um trabalho importantíssimo de construção de uma telemedicina de ponta, que garanta a segurança de dados entre médicos e pacientes, com ética e eficácia.

A Associação Paulista de Medicina (APM) e sua pioneira iniciativa com a criação do Global Summit Telemedicine & Digital Health foi a precursora da temática no Brasil e na América Latina, na promoção e compartilhamento de conhecimento científico, tecnológico e jurídico sobre a telemedicina.

A proposta do Global Summit é congregar o ecossistema da saúde digital e Telemedicina completo, reunindo todos os atores e os melhores especialistas compartilhando seu conhecimento e experiências de ações e iniciativas que estão sendo realizadas aqui e em outros países.

No ano de 2018, o Global Summit estabeleceu parcerias com inúmeras instituições e entidades, nacionais e internacionais, possibilitando a criação da primeira edição do maior e mais importante evento em telemedicina e saúde digital do Brasil e da América Latina em 2019, que contou com a participação de 13 países e mais de 120 palestras durante quatro dias, promovendo o intercâmbio do conhecimento em Telemedicina e saúde digital.

“Com esse evento, nós possibilitamos elevar o debate em torno das melhores práticas e modelos em direção à uma telemedicina responsável, ética e de qualidade por meio de tecnologias conectadas. Isto é muito importante para continuarmos seguindo a alavanca do conhecimento”, ressalta Prof. Dr. Jefferson G. Fernandes, neurologista, Presidente do Conselho Curador do Global Summit Telemedicine & Digital Health.

As temáticas Telemedicina e Saúde Digital, tanto aqui no Brasil quanto em outros países, ainda enfrentam muitos desafios e por isso o Global Summit trabalha exaustivamente no propósito de ajudar a fomentar esses assuntos com um elevadíssimo padrão, colocando o Brasil numa rota de inteligência em medicina e saúde conectadas.

No Brasil, enquanto as entidades, associações e empresas aguardavam o posicionamento final do Conselho Federal de Medicina (CFM) para a aprovação da Telemedicina, a Covid-19 avançou no país e uma portaria emergencial foi criada, permitindo o teleatendimento no monitoramento da doença tanto através de uma Portaria publicada pelo Ministério da Saúde, como de uma lei especifica aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada pelo Presidente da República.

Essa resolução mudou totalmente o cenário, promovendo uma corrida de médicos, hospitais e operadoras de saúde, em busca de informação, capacitação, tecnologias e serviços que possibilitassem o atendimento remoto.

Plataformas de Telemedicina

Entre e os participantes e os apoiadores do Global Summit Telemedicine & Digital Health 2019, a Teladoc, empresa americana com filial no Brasil, apresentou cases de sucesso na implementação de plataformas de Telemedicina em diversos países, abrangendo as necessidades específicas para cada região. Com uma visão estratégica e antecipando-se às regulamentações do país, a empresa estudou o mercado brasileiro e desenvolveu uma ferramenta 100% nacional.

Muitas plataformas de Telemedicina surgiram especificamente para atender a demanda do Covid-19, enquanto a Teladoc desenvolveu uma plataforma nacional, entendendo o mercado brasileiro e preparando-se para a aprovação da nova resolução do CFM – Conselho Federal de Medicina.

“A plataforma da Teladoc não foi feita para a Covid 19. Quando o CFM tinha acabado de revogar a regulamentação nós já estávamos construindo a nossa plataforma e não alteramos a nossa programação para lançar uma solução para a Covid. Nós não estamos surfando na onda da pandemia, pelo contrário, o que fizemos nesse momento, foi criar uma solução específica sem custo para o usuário. No aplicativo da Teladoc é possível entrar numa jornada da Covid para ser atendido por um médico, por meio de videoconferência, e nós não cobraremos por isso”, explica o Diretor de Inovação e Produtos da Teladoc Health, Jimmy Ayoub.

“O intuito principal da plataforma é trazer a casualidade do dia a dia para o formal, onde o médico poderá ser remunerado, com o valor determinado de sua consulta, oferecendo um voucher específico e retorno do atendimento. Basicamente, o médico tem a mesma autonomia de um consultório presencial”, ressalta o executivo da Teladoc Brasil.

Teladoc e APM

A Associação Paulista de Medicina (APM) e a Teladoc Health firmaram uma parceria e acabam de lançar uma plataforma de telemedicina, que tem o objetivo de viabilizar uma ferramenta para uma consulta remota com segurança e comodidade, seguindo todos os requisitos legais, guiados principalmente pela Lei Geral de Proteção de Dados.

“Esse modelo co-branding Teladoc e APM mostra uma soma de forças e expertises. Não se trata de uma parceria que vislumbra ganhos comerciais, mas mostrar como duas instituições de peso e que conhecem o mercado, podem se unir para oferecer ao médico uma solução eficaz”, explica o Dr Antonio Carlos Endrigo, Diretor de TI da APM.

Os médicos e pacientes poderão acessar esta ferramenta por meio do computador e aplicativo de celular, disponível nas lojas para Android e iOS. O contato será feito por áudio e vídeo, com prontuário resolutivo e simples, com a possibilidade de ser integrado com outros recursos utilizados pelos médicos.

Saiba mais em http://associacaopaulistamedicina.org.br/teladoc/

Capacitação Médica

Para ajudar os médicos a entenderem melhor esse método de atendimento, principalmente durante o distanciamento social necessário para a pandemia de COVID-19, torna-se necessário aprender como utilizá-la. Isto significa saber, entre outros aspectos, benefícios, limitações, segurança e privacidade, além de como estabelecer uma relação médico-paciente correta por meio de uma plataforma on-line.

Para contribuir com os profissionais médicos na adoção adequada das novas tecnologias digitais, a Associação Paulista de Medicina criou o Programa de Educação em Telemedicina para Médicos, com cursos de curta duração que irão abordar os mais diversos aspectos da aplicação e uso da telemedicina na prática médica, como um complemento aos cuidados presenciais dos pacientes.

A Coordenação do Programa de Educação em Telemedicina para Médicos é do Prof. Dr. Jefferson G. Fernandes, neurologista, Vice-Presidente da Associação Brasileira de Telemedicina e Telessaúde (ABTms), Presidente do Conselho Curador, Global Summit Telemedicina & Digital Health, Associação Paulista de Medicina (APM), Coordenador do Programa de Educação em Telemedicina, APM e CEO SPECIS a Health Consulting Firm.

Integram o corpo docente do Curso Básico de Capacitação em Telemedicina, produzidona modalidade EaD, o  Prof. Dr. Chao L. Wen, Médico e Professor Associado da FMUSP e Chefe da Disciplina de Telemedicina; Dr. Jimmy A. S. Ayoub, Cirurgião e Diretor de Inovação e Produtos da Teladoc Health Latam e Dr. Henrique V.B. Lemos, Médico de Família e Comunidade pelo Hospital Santa Marcelina, e o Prof. Dr. Jefferson G. Fernandes.

Além dos associados da APM, a instituição firmou parcerias com a Unimed Fesp e com a Unimed Brasil, para oferecer o Curso Básico de Capacitação em Telemedicina aos médicos cooperados. Os associados da AMRIGS (Associação Médica do Rio Grande do Sul) também poderão fazer a capacitação, por conta de parceria entre as entidades.

As inscrições podem ser realizadas pelo site da APM, https://cursosonlineapm.org.br/

Newsletter

Inscreva-se e acompanhe as novidades sobre o Global Summit Telemedicine & Digital Health 2020.